website stats
Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Deco detecta "aldrabices" nas oficinas
Problemas que surgem nas oficinas e o dono é burlado sem saber.

Ir a uma oficina é quase como ir a um dentista, queremos ir a um de confiança mas nem sempre é possível saber se a oficina é de boa qualidade e muitas vezes, acabamos por pagar mais por algo que não se justificava ou por peças usadas. A Deco achou que há oficinas manhosas e fez um teste para comprovar isso.

Portanto, a Deco arranjou carros ajustados ao mercado português e fez as seguintes alterações: em veículos a diesel desapertou o tubo que liga o turbo ao intercooler (tubo desapertado), nos de gasolina eliminou a folga da vela do 1º cilindro, para alem disso colocou um fusível fundido para que o motor do limpa pára-brisas não funcionasse. De seguida, veremos como é que muitas das oficinas resolveram o problema.

Confere:

A FEU VERT no Sintra Retail Park pediu 880 euros para reparar o turbo porque este tinha de ser substituído, quando só bastava apertar a braçadeira.

A GAMOBAR (PEUGEOT) exigiu o pagamento de 617 euros por uma válvula egr, que tinha de ser substituída

A PRECISION (em Benfica) pedia 650 euros

A PRECISION (no Cacém) pediu 191 euros, usou o fusível suplente do cliente que tinha no carro e não o substituiu e afirmou ter reparado a cablagem do limpa vidros traseiro. Este serviço não foi feito nem era necessário, mas esta operação serviu para elevar o tempo de mão de obra

A MIDAS (CENTRO COMERCIAL COLOMBO) apresentou uma factura de 250 euros, substituição da bobine da ignição que na verdade, não estava avariada.

A MIDAS (na Av. Cidade do Porto em LISBOA) apesar de ter colocado o tubo no sitio, como aquilo era uma coisa pequena, aproveitou para fazer uma revisão ao carro, com mudança de óleo e filtro, bem como o filtro de ar, para alem do carro ter mudado o óleo à 2 meses e com 1.000km, sem ter pedido autorização ao cliente.

A AUTO JAMOR (Carnaxide) substituiu também a bobine da ignição, que não estava avariada, cobraram 95 euros pela peça.

A BOSCH CAR SERVICE (Amadora)  e a PRECISION (Cacém) indicaram ter reparado os cabos do sistema eléctrico, quando, na prática, apenas substituíram o fusível. Na PRECISION serviu para justificar as mais de 3 horas de mão-de-obra cobradas.

A ROADY (Valongo) apresenta na factura um tubo de borracha, mas o mesmo não foi substituído. Mais: a nosso pedido, devolveram-nos um tubo que não pertencia à viatura, o que revela um comportamento inadmissível.

A Deco dá 8 dicas para evitar problemas:

1º  pede um orçamento escrito

2º Informa-te sobre o procedimento: qualquer reparação ou substituição não previstas só podem ser feitas com o teu consentimento

3º Quando fores buscar o carro: verifica na presença de um técnico se existe algum problema na viatura visível, em caso afirmativo, pede a sua correcção imediata, ANTES DE PAGAR.

4º Pergunta o que foi reparado: pede uma factura descriminada, serve como prova para poder reclamar

5º Quando há peças substituídas: o reparador tem de devolver as velhas ao cliente, se este as quiser.

6º Se detectares cobranças de peças não substituídas ou trabalhos não realizados, apresenta queixa na ASAE ou no livro de reclamações

7º Caso o problema se mantenha após a reparação, envia uma carta registada com aviso de recepção e exige a correcta reparação.

8º Em caso de conflito poderás sempre recorrer aos Julgados da paz a sua decisão é tão valida como a de um juiz num tribunal

Fonte: Deco

loading...